"Goju-Ryu" ( em japonês) é uma escola de "Karate" originária de Okinawa. É um estilo que mescla formas rígidas, duras ("Go"), com formas suaves ("Ju"), criado por Chojun Miyagi, aluno do mestre Kanryo Higaonna, maior autoridade do "Naha Te", arte marcial nativa existente em Naha, capital de Okinawa antes da Segunda Grande Guerra.

Mestre Miyagi, após passar 4 anos na China, onde treinou os estilos "Pa Kua Chang" e "Shaolin Chuan", analisando o movimento dos animais, voltou a Okinawa e, baseando-se no princípio do "YIN-YANG" (as energias negativa e positiva que regem o universo), uniu a flexibilidade das artes chinesas à rigidez do "Naha-Te", criando o "Goju-Ryu" - A Escola do Rígido e Flexível.

O "Karate" tem como base fundamental a respiração, evidenciada principalmente na forma dos dois "katas" básicos do estilo "Goju-Ryu":

  • "Sanchin-Zen", que incorpora o "Kihon Gata", que significa: forma básica que tem como objetivo a formação física e mental no "Karate-Do" e "Sansen-Go-No-kata", que quer dizer: três forças na verdadeira forma; e
  • "Tensho", com os seguintes conceitos: "Heishu-gata", mão fechada, e "Ju-No-Kata Yawara-No Katashi", traduzindo-se por: verdadeira forma flexível.

Neles podemos observar claramente o "pesado" e o "leve" (força e flexibilidade), bem como o processo de captação de energia macrocósmica, que se estende nos exercícios ("kihons"). Todo este conjunto está presente no "Kaishu Gata" (exercícios formais de mão aberta).

Ilustrando melhor:

- GO = rígido, como no "Sanchin-Zen"
- JU = flexível, suave, como no "Tensho"
-
RYU= estilo

O "Goju-Ryu" é o estilo de "Karate" que busca o equilíbrio dos opostos, das energias antagônicas e complementares. Ele ensina como agir: com energia ou brandura, rapidez ou suavidade.

Praticar "Goju-Ryu" é aprender a ser como a água: fluida e sem forma, por isso pode assumir todas as formas; calma e suave ou revolta, mas ambas com o poder de passar por quaisquer obstáculos, mesmo os de aparência mais resistente. O "Goju-Ryu" caracteriza-se também por movimentos circulares.

Usando técnicas de formas curtas e longas, aproveitamos duas importantes ferramentas do nosso corpo: sistema interno (parte mística e esotérica) e externo (parte muscular).

Fonte: parte do texto extraído da enciclopédia Wikipédia.


A Forma:

A forma das posições, movimentos e golpes que motivou a escrita do livro "Karate-Do", pelo "Shihan" Douglas Diana, denomina-se "Katathinba" (O Aleijado) e foi idealizada por Chojun Miyagi (fundador do estilo "Goju-Ryu"), que o demonstrou no festival Sainekan Budo, no palácio imperial em Tóquio, em 1930, na cerimônia de coroação do príncipe Hiroito, forma essa desenvolvida pelo "Shihan" Douglas Diana, finalizada em 2007.

O princípio assemelha-se à armada de ataque de um felino, passando para a forma "quebrada" (aleijado). Desfere-se o impacto na forma curta, estando o corpo com a parte óssea toda encaixada, e finaliza-se com golpe na forma longa, clássica, conhecida, deixando a energia fluir contra o adversário ("komeru"). Esse procedimento, com movimentos curtos e longos e respectivos "bunkais" (aplicações), é conjugado com a respiração ("Kokyu Donto"), que é base fundamental do "karate", através da qual se absorve e recicla a energia cósmica, "ki".

Apesar de o livro apresentar os aspectos teóricos do estilo "Goju-Ryu", esta forma pode ser adaptada e aplicada a outros estilos, com bastante eficácia.

Os "katas" podem ser executados na forma reta, quarenta e cinco graus e também mesclando as duas formas.

 
   
Rua do Orfanato, 104 - Tels: 2068-5725 | 98135-5436 contato